compartilhe:

A culpa não é do IPEA

Estupro - pesquisa ipeaAntes de realmente começar a falar sobre um dos assuntos mais comentados da semana, já podem ficar sabendo que não estou aqui pra defender instituto/orgão nenhum, isso inclui o IPEA.

Depois da divulgação de uma pesquisa feita pelo com 3.810 pessoas, onde 65% acreditava que “se as mulheres soubessem se comportar haveria menos estupros”, falou-se pouco de outra coisa. A indignação foi geral e rolou até protesto. Eu é claro, participei.

Um ou dois dias depois da revolta, apareceu um outro grupo de pessoas – e veículos de comunicação – que diziam: “você está sendo manipulado por um instituto que não soube se quer apresentar respostas. Ninguém usou de fato a palavra MERECE”.

Ok. É totalmente compreensível que veículos de informação e pesquisa usem de sua influência para manipular massas. Isso infelizmente é tão normal quanto respirar. O que talvez algumas pessoas não tenham entendido é que a história do estupro não foi inventada pelo IPEA. Ela é antiga, verídica e está acontecendo agora mesmo em alguns lugares do mundo. Os dados dessa pesquisa especificamente podem ser mentirosos, mas essa série de terror não. Tanto que se observarmos bem os comentários nesse tipo de reportagem, é possível afirmar que é esse sim o pensamento de boa parte da população, sejam homens ou mulheres.

Comentário - estupro
Os comentários absurdos acima são deste post.

Vocês entendem por que esse tipo de reação anti-estupro não é uma bobagem? Não é algo que deve ser encarado como momentâneo! O machismo, principal causador desse tipo de violência está enraizado seja aqui ou lá no Oriente Médio onde as mulheres são obrigadas a usarem burcas.
O que está em voga não são as vestes ou o comportamento feminino e sim a ideia de que o corpo da mulher pode e deve ser dominado por um homem.

Hoje logo que abri meu facebook li uma bobagem daquelas mais absurdas. O indivíduo machista e completamente ignorante, compara o estupro a um assalto e ainda diz que existe um perfil para isso. Oi?

Se alguém que está lendo esse texto agora, compactua com o texto do fulano do bananal ai de cima, eu deixo a pergunta: e se fosse a sua mãe, a sua filha ou a sua irmã? Eu tenho curiosidade porque não imagino como alguém pode simplesmente ignorar tamanha brutalidade. Não causa nenhum espanto?

A situação é muito pior do que parece, seja aqui ou em outros países. Volto a dizer: o problema está cabeça de uma sociedade machista que aponta, julga e oprime mesmo que silenciosamente.

Autor:

21 anos, social media, estudante de moda, amante das artes com uma boa dose de feminismo.

Comentários deixe sua opinião sobre esse artigo

1 comentário em “A culpa não é do IPEA”

Deixe um comentário simpático :D

  • Lazaro Silva disse:

    Somos livres, nascemos livres e a liberdade nos dá a responsabilidade de evolução, crescimento e vontade, a consciência é o único bem nessa Terra que vocês irão realmente aproveitar em vossas liberdades mulheres não merece-me sere estupradas mas sim respeitada