compartilhe:

O esmalte engrossou: Óleo de banana x Diluente, qual usar?

esmalte engrossouDe repente aquela cor linda virou uma gosma viscosa dentro do vidro: seu esmalte engrossou. Jogar fora? Não, ainda dar pra salvar. Como toda boa tinta, esmaltes são formados basicamente por: pigmento + resina (corpo) + solvente. Por ser um produto volátil, pode acontecer do solvente evaporar, deixando o esmalte grosso, afinal é ele quem determina a viscosidade do esmalte.

Para repor o solvente e outros componentes perdidos, você pode usar um diluente para esmalte.

“Legal, vou por acetona no vidro.”

NÃÃÃOOOOO!!!!  A acetona e o removedor servem para dissolver o esmalte e retirá-lo das unhas, por isso eles derretem o verniz e atacam o pigmento. Se você pingar acetona ou removedor num esmalte, além de diluir o esmalte perderá brilho e fixação, além de interferir na durabilidade. Fora que ambos são ainda mais voláteis que o solvente usado pela indústria, ou seja, a acetona vai evaporar mais rápido e seu esmalte não vai demorar a engrossar de novo.

“Tá bom, a minha manicure usa óleo de banana, vou usar também.”

Errr… Ok, ele é vendido para isso, mas de acordo com alguns fabricantes ele estraga o esmalte tanto quanto a acetona ou removedor, por modificar a fórmula do esmalte. Sabe aquele esmalte multicromático lindo? Ele pode perder essa graça ao ser modificado com óleo de banana. Fora que o cheiro de banana que pode incomodar os narizes mais sensíveis. O óleo de banana é um produto tóxico, inflamável e alucinógeno – tanto que sua venda é proibida para menores de 18 anos.

óleo de banana

“Ahh mas é natural.”

composição do óleo de bananaAhãm. Apesar do nome, não é um derivado da fruta. Na verdade, ele é um éster, composto químico sintético que pode ser obtido em laboratório e que tem cheiro semelhante ao cheiro da banana (daí vem o nome). O composto químico que compõe o óleo de banana é chamado de Acetato de Amila e ele não faz parte da composição do esmalte. Depois de um tempo, assim como com a acetona, o esmalte também volta a engrossar.

Eu sou a favor do Diluente, produzido com os mesmos componentes da indústria de esmaltes. Também funciona adicionar um esmalte incolor ou extra brilho, pois ambos contém em sua formulação resinas e plastificantes que não alterarão a durabilidade e o brilho. E mesmo o diluente precisa de atenção: alguns contêm tolueno e formaldeído, podendo contaminar um esmalte 3free ou hipoalergênico.

diluente para esmalte

O meu favorito é o da Impala, pois não contém tolueno e formaldeído, além de nunca ter alterado nenhum dos meus esmaltes – já usei inclusive em multicromáticos sem nenhum dano à cor. O da Vefic também é bom, mas já li relatos de que ele tira o efeito das coberturas transformadoras de cor da Colorama. Não quis arriscar.

#DiluenteTeam \o/

Autor:

Designer, viciada em esmaltes e tipografia. Fetichista, andarilha e ri muito alto. Acredite, gosta de futebol. Em busca de um namorado palmeirense para acompanhá-la nos estádios.

Comentários deixe sua opinião sobre esse artigo

2 comentários em “O esmalte engrossou: Óleo de banana x Diluente, qual usar?”

Deixe um comentário simpático :D

  • Mônica Nery disse:

    Adorei o post! Bastante esclarecedor! Sempre tive o costume de usar óleo de banana como diluente, mas que cheirooooo enjoativo e nem é natural como imaginava. Vou comprar o diluente da Impala!

  • Olá Fabi, tudo bem? Super esclarecedor este post. Ouvi falar do “dilui da empala” e estou indo atrás pra testar (principalmente pela composição né? nossos vidrinhos e unhas agradecem ;)… confesso que usava produtos como os citados aqui. Obrigada por dividir informações tão valiosas. Sucesso. Bjus!